neo concepts
Contos Eróticos da vida real
atreva-se a publicar o seu e surpreenda-se com o feedback (agora 100% abertos)
  

Conhece um conto erótico digno de ser partilhado?


O Seu Nome* : O Seu Email* :   * Deseja Receber Notificação? :
* O SEU EMAIL NUNCA será divulgado ao público. Serve apenas para você receber as notificações do seu conto.

Obrigatório: Qual o título deste conto:  

Palavra Chave/TAG 1:    escreva 4 palavras/tags que definam o seu conto,
Palavra Chave/TAG 2:    o seu conto ficará associado a estas palavras chave.
Palavra Chave/TAG 3:   
Palavra Chave/TAG 4:   

Associar uma Imagem:    Opcional. Pode associar uma imagem ou foto ao seu conto. Imagens de Sexo explícito são proibidas.
Categoria Temática:

Descreva pormenorizadamente o seu conto erótico.
Anti-spam* (ESCREVA APENAS OS 3 SÍMBOLOS A PRETO):      captcha image   




não me lembro quando comecei



Divirta-se no Bate-papo do Eu Confesso. Entre por aqui.



Mais Vídeos Gratuitos? Veja aqui:

Este conto foi lido 32540 vezes.
Depois de ler este conto, porque não uma visitinha a estes desabafos Sexys:

Confissão: Atração por travestir
Bom eu tenho uma tara muito grande por trans minha esposa nem imagina às vezes fico vendo sites aond...

Publicado em 5 February 2018 | 7:13 am
Confissão: Tentação demais pra mim
existe um cara com o qual tenho uma atraçao inevitavel. Ele é muito gato, olhos verdes, cabelo lindo...

Publicado em 5 February 2018 | 6:48 am


E agora... O conto de James36 :

Tenho 36 anos, mas o sexo começou muito cedo na minha vida. Nas minhas lembranças mais antigas eu chupava a rola do meu tio. Eu devia ter entre 3 e 4 anos e ele entre 16 e 17. Ele é o irmão mais novo do meu pai e foi morara na nossa casa pra trabalhar. Eu estudava a tarde e ele ficava de manhã em casa cuidando de mim. Me lembro de chupa-lo todos os dias, mas não lembro dele gozar na minha boca ou no meu rosto. Lembro com muita clareza da primeira vez que ele me penetrou e como isso continuou.
Eu estava com seis anos e ele com dezoito. Lembro da minha idade por que eu estava na pré-escola e por causa da casa onde morei ate os sete. Numa manhã como as outras eu acordei e fui pra cama dele. Ele sempre estava de pinto duro quando acordava e eu comecei a chupa-lo. Mas ele me mandou parar, me fez ficar de joelho em cima da cama com a bunda virada pra ele. Depois eu dobrei os joelhos e apoiei meu tronco nas minhas pernas, ficando com minha cabeça apoiada no colchão e minha bunda aberta, empinada e apontando meu cuzinho pra ele.
Ele pegou um pote e lambuzou meu rego. Parecia óleo e ele enfiou o dedo no meu cu. Escorregou fácil pra dentro de mim pois estava muito melado. Meu tio mexeu o dedo dentro do meu cu por um tempo e depois se posicionou atrás de mim, lambuzou o seu pinto e começou a esfregar no meu rego. Foi forçando o meu buraquinho, e como meu cuzinho e seu pau estavam muito melados, a cabeça entrou no meu cu com alguma facilidade. Senti uma dor terrível, me lembro dessa dor ate hoje. No impulso tentei escapar daquela dor, mas ele me segurou firme pelo quadril e tentou enfiar mais. A dor era terrível e eu comecei a chorar.
Vendo meu desespero, ele parou de tentar. Ainda ficou um tempo com a cabeça do pau enfiada no meu cuzinho, mas logo tirou. E limpou e não conversou mais comigo.
No dia seguinte eu acordei e fui pra cama dele. Queria apenas chupa-lo, mas ele virou de costas e disse que ia dormir mais. Assim foi também nos outros dias. Eu estava triste, sabia que ele estava com raiva de mim porque não aguentei a dor. Mas eu queria continuar chupando o pau dele. Na verdade eu estava viciado em chupa-lo desde os quatro anos. Mas ele não queria mais.
Lembro que um dia eu fui dispensado da aula. Como a escola era na esquina da minha casa, fui embora sozinho. cheguei em casa achando que só minha irmã estaria em casa. Entrei em casa e, não lembro porque, ninguém percebeu que eu havia voltado. Também não lembro porque, mas meu tio estava em casa e quando cheguei na porta do quarto vi minha irmã na mesma posição que eu fiquei pro meu tio me foder. Ele estava atrás dela com a rola enfiada no cu dela. Me abaixei na porta e fiquei olhando. Eles estavam de costas pra mim e não me viram.
Ele fazia um movimento de vai e vem com o pinto dentro dela. As vezes parecia que o pinto ia sair, mas ele enfiava de novo. Outras vezes ele enfiava bem fundo e apertava o saco na bucetinha lisa dela. Meu tio não era pintudo, tinha um pinto normal, entre 16 e 17 cm, um pouco grosso, cabeça media e pele morena, ele era sacudo, bolas grandes e saco farto. Na verdade o pinto dele era muito parecido com o meu hoje, mas a pele do meu pinto é um pouco mais clara, pois eu sou bem clarinho e meu pau tem quase 18 cm.
Mesmo assim minha irmã aguentava todo aquele cacete dentro do cu dela, ela gemia muito, parecia dor e prazer juntos. Ate que meu tio parou de foder e eu vi seu saco pulsar. Quando ele tirou o pinto de dentro dela deu pra ver que estava muito melado e pingando uma gosma amarelada. O cu dela estava com um buraco que, pra mim, pareceu enorme, e escorria a mesma gosma de dentro do cu dela.
Antes deles me verem eu dei um jeito de sair. Sentei perto do portão e fiquei muito triste. Eu estava com raiva, mas não era da minha irmã. Era raiva de mim mesmo, porque eu não consegui aguentar o pau do meu tio e o decepcionei. Mas eu estava decidido, eu iria aguentar aquela dor e deixar ele enfiar o pinto todo dentro de mim. Eu tinha seis e minha irmã oito, não era muita diferença de idade, e se ela aguentou eu também aguentaria. Era assim que eu pensava quando era criança.
No fim de semana meus pais saíram e voltariam muito tarde, minha irmã foi dormir na casa de uma amiguinha da rua, ficamos só eu e meu tio. Sentei ao lado dele pra assistir televisão e comecei a brincar com o pinto dele. Logo ele estava de pinto duro e eu perguntei se ele queria que eu chupasse. Ele disse que era melhor não, pois ele ia querer enfiar no meu cuzinho e eu era muito novo pra aguentar a dor. Eu insisti que ele podia enfiar em mim e que eu iria aguentar a dor sim, mesmo que eu chorasse um pouco. Ele me explicou que só doeria no começo, depois eu me acostumava e ia ser muito bom. Isso me encorajou mais ainda.
Chupei bastante o pau dele la no sofá mesmo e depois ele me levou pro quarto. Me colocou naquela posição. Ajoelhado, com o peito apoiado nas pernas e a cabeça num travesseiro. Fiquei ali com a bunda empinada e apontando meu buraquinho pra ele. Ele pegou o potinho e lambuzou meu rego, com o dedo lambuzou dentro do meu cuzinho e também lambuzou seu cacete duro. Se posicionou atrás de mim e começou a esfregara cabeça do pau no meu rego, ate forçar no meu buraquinho. Mas dessa vez ele foi mais calmo. A cabeça do seu pau foi entrando e abrindo meu cuzinho. Como estava bem melado, entrou fácil, mas a dor era grande. Eu agarrava forte o lençol da cama e mordia o travesseiro. Ele foi enfiando, parava um pouco, voltava um pouco pra traz, enfiava mais um pouco. Fez isso por um tempo e ficava falando um monte de coisas. Falava que meu cuzinho era apertadinho e que ele ia me arrombar, falava que me amava e um monte de outras coisas.
Começou a me foder mais forte, aquele mesmo movimento de vai e vem que eu vi ele fazer na minha irmã. Ia enfiando cada vez mais e eu sentia a grossura do seu pinto me abrindo por dentro. Eu gemia e chorava e ele falava pra eu chorar mais e que eu ia chora na vara dele todo dia.
Lembro dele falar que o pinto dele era pequeno, que era pra eu me acostumar bem com aquela rola porque ele ia trazer um amigo pintudo pra enfiar o pinto todo dentro de mim. Eu senti medo daquilo, continuei gemendo e chorando e ele me fodendo cada vez mais forte. Quanto mais eu chorava mais forte ele fodia, mais fundo ele enfiava. Eu já sentia o seu saco batendo no meu saquinho. E ele continuou me arrombando, me fodendo com toda voracidade. Ate que ele socou a rola toda dentro de mim e parou de uma vez. Senti que o pau dele tremia e pulsava muitas vezes. Senti meu cu esquentar por dentro, foi quando ele tirou o pau de dentro de mim. Eu estava suado e mole, parecia que eu estava cagando, mas algo escorria de dentro do meu cu. Lembrei da gosma amarelada que escorreu do cu da minha irmã, então pensei que o meu cuzinho estava com um buracão como o que eu vi no dela. Continuei choramingando e meu tio começou q me falar algumas besteiras. Me chamava de viadinho, falava que agora eu era arrombado e viado. Que ia meter em mim todo dia e se eu ficasse chorando ele ia começar a me bater e ia me vender pros caras pintudos acabarem com meu cuzinho. Ele parecia violento e eu chorei ainda mais. Não era aquilo que eu esperava, ele foi tão carinhoso com a minha irmã e eu achei que aguentando aquela dor toda e deixando ele fazer o mesmo comigo, eu iria reconquistar o carinho dele.
Ele me pegou pelo braço e me levou pro chuveiro, me mandou parar de chorar mais eu não conseguia, então me deu dois tapas no rosto e disse que ia me bater mais. Começou a me dar banho e me dar palmadas na bunda ate eu parar de chorar. Depois de muito levar palmadas eu parei de chorar. Ele me tirou da agua com brutalidade e se lavou. Eu estava ali na frente dele, com o cu doendo e encolhido de medo. Quando ele terminou o banho e se secou, pegou minha toalha e me enrolou nela, me levou pro quarto e eu pensei que iria apanhar mais, mas ele me abraçou, disse que me amava e me secou com todo carinho. Me beijava o corpo inteiro e me fez sorrir.
Nessa mesma noite ele me fez chupa-lo e me ensinou o que era porra, gozou no meu rosto e na minha boca, me fez engolir um pouco e eu o chupei umas três vezes naquela noite. Ele gozou de todo jeito em mim. E me prometeu que traria seu amigo pintudo pra me comer, mas antes ia deixar meu cuzinho bem acostumado a levar vara.
Depois eu conto do “amigo pintudo do meu tio”.



#9568 Comentários - 14-10-2015 - 11:47 PM por James36 - Incesto - Confirmo, É EXCITANTE (100) - Nota negativa! (30)
Remover dos Favoritos
Enviar a um Amigo
Este conto já foi visto antes

Contamos com a sua decisão. Você leu a totalidade deste conto? Gostou? Não?

Agradecemos que faça a sua votação. Clique num dos links em cima.
Clique em "Confirmo, É EXCITANTE" se gostou do conto ou clique em "Nota negativa" se não gostou. por favor faça-o em consciência. Obrigado pela sua participação.

Comentários dos usuários:

Nota: O site Contos Eróticos (contoseroticos.mundopt.com) não se identifica com os comentários aqui publicados. Os comentários são da inteira responsabilidade dos seus autores e podem ser removidos sem aviso prévio. Se você encontrar aqui algum comentário que considere que ultrapassou todos os limites, por favor clique no link "Relatar" para o reportar à administração. Obrigado.