neo concepts
Contos Eróticos da vida real
atreva-se a publicar o seu e surpreenda-se com o feedback (agora 100% abertos)
  

Conhece um conto erótico digno de ser partilhado?


O Seu Nome* : O Seu Email* :   * Deseja Receber Notificação? :
* O SEU EMAIL NUNCA será divulgado ao público. Serve apenas para você receber as notificações do seu conto.

Obrigatório: Qual o título deste conto:  

Palavra Chave/TAG 1:    escreva 4 palavras/tags que definam o seu conto,
Palavra Chave/TAG 2:    o seu conto ficará associado a estas palavras chave.
Palavra Chave/TAG 3:   
Palavra Chave/TAG 4:   

Associar uma Imagem:    Opcional. Pode associar uma imagem ou foto ao seu conto. Imagens de Sexo explícito são proibidas.
Categoria Temática:

Descreva pormenorizadamente o seu conto erótico.
Anti-spam* (ESCREVA APENAS OS 3 SÍMBOLOS A PRETO):      captcha image   



Só no colinho




Último post na Rede Social para adultos
"Par Compatível 18+". Faça a sua conta. É Grátis:

simao publicou o seguinte:
em Orgias
Duas loirinhas gostosas
Este post tem 14 fotos.
Clique na foto para ver o resto deste album.


Este conto foi lido 41269 vezes.
Depois de ler este conto, porque não uma visitinha a estes desabafos Sexys:

Confissão: a nanda sao joao boa vista
Eu confesso que amei saber q tem homens e mulheres do meu lado isso me faz ir alem do limite tentar ...

Publicado em 23 April 2014 | 5:34 am
Confissão: super taradice
Eu confesso que mesmo comendo minha mulher todos os dias sou tarado para comer a amiga dela e tambem...

Publicado em 23 April 2014 | 4:48 am


E agora... O conto de Libânio Shaefer :

Depois de um dia muito corrido, finalmente tomo o caminho de casa. Parado no sinal, vejo uma família encostada em um muro. Mãe, filho e filha. Davam a impressão de passar necessidades. Parei o carro, baixei o vidro e perguntei do que precisavam? Sentada no chão e com um bebê de colo que só percebi quando me aproximei, a senhora me disse que precisavam de tudo. Disse que eu me referia a alimentos. O que resolveria o problema deles naquele momento. Ela tornou a me dizer a mesma coisa: precisamos de tudo. Imediatamente decidi seguir para um mercado ali próximo. Perguntei se um dos filhos maiores não poderia me acompanhar para ver exatamente o que seria necessário para comprar. A mãe conversou algo com a menina que veio em direção ao carro. Entrou e segui ao mercado. Fomos conversando. Era uma menina muito faladeira. Disse que seu sonho era ter um carro e saber dirigir. Me perguntou se eu poderia ensina-la? Entrei na conversa, achando que morreria ali, mas que nada. Foi o meu sim que mudou tudo naquele final de tarde. Mais adiante, sem ter muito como negar ou deixar para outra hora o seu pedido. Parei o carro e tentei argumentar dizendo que aquilo era impossível naquele momento. Que era perigoso, que o movimento era intenso e que não era assim, tão simples como ela imaginava. Oi aí que entendi a sua proposta. Ela me disse que onde morava, havia um vizinho que tinha uma moto e que já lhe tinha ensinado a pilotar a tal moto. Ela se sentava na frente e o cara atrás. Ela só segurava nos manetes e a volta era curta. Uma voltinha no quarteirão. Voltei a dizer que não seria impossível porque o movimento era grande. A Menina me disse que sabia que alí perto havia uma rua deserta com quase nenhum movimento. Não me deu outra opção se não tocar para lá. Chagando lá, de fato havia a tal rua. Encostei o carro e rapidinho ela se levanta e vem se ajeitando para se sentar em meu colo. Abri as pernas e ela se senta. Seu cheiro, seus cabelos e aquela corpinho colados em mim me perturbaram. Sua alegria era tamanha que dava saltinhos em meu colo. Sua excitação lhe deixava vidrada o que a fez começar a se mexer demais em meu colo. Com movimentos daquela bundinha em meu pau que imediatamente se manifestou. Ela vestia um shortinho vermelho e uma blusinha azul, com a barriguinha à mostra. Segurei em sua perninha e a ajeitei mais em meu colo, proporcionando ao meu pau uma alegria que não estava prevista. O curioso é que nem pensei em não aceitar a brincadeira. Esava gostoso para ambos. Ela realizava seu sonho e eu o do meu pau que não parava de crescer dentro da calça. Ainda com o carro parado, ela com as duas mãos no volante, olhando para frente, como quem dirige , com um sorriso e os olhos vidrados no que fazia me fez ganhar coragem. Vi que se tirasse o pau ela nem perceberia. Foi o que fiz. Devagarzinho fui tirando. Coloquei todinho para fora , ajeitei aquele cuzinho melhor em cima dele e comecei a brincadeira. Segurando ela pela cintura, fazendo deliciosos movimentos de vai e vem fui sarrando aquela coisinha. Eu dizia que era para ela imaginar que estávamos andando por uma rua esburacada e assim foi. Não demorou muito, gozei melecando minha calça e seu shortinho. Terminamos nossa aula, seguimos ao mercado. Amarrei uma blusa na cintura e a deixei no carro sozinha. Ela não podia descer com aquela porra na bunda. Comprei tudo que pude. Foi uma compra grande. Voltamos para onde estava sua mãe e irmãos. Lá, descobri que ela não teria como carregar tudo aquilo para casa. Me propus em leva-los. A mulher não sabia como me agradecer. Entraram todos no carro e a menina animadíssima com o fato de ter dirigido o carro contava a históira animadamente para a mão. Chagamos em sua casa. Entrada de uma favela que a principio me assustou. Descemos descarreguei o carro, a ulher mais uma vez me agradeceu e a menina só falava em dirigir o carro. Que eu tinha que voltar lá para ensinar mais , com novas aulas. A mão disse que ela não deveria insistir pois eu já tinha sido bom demais. Entrei no carro e eles já entrando em casa ainda pude ver a minha motorista de costas com minha porra em seu shortinho. Fui embora e claro, fiquei com aquilo na cabeça por muito tempo. Chaguei a me masturbar lembrando da história. Um certo dia resolvi passar com mais atenção por onde tinha vista família na rua. Nada. Nâo tinha ninguém. Lembrei do endereço, na entrada da favela. No dia seguinte, njum sábado, fui até lá. Com um pouco de medo, mas fui. Por sorte, quando cheguei ela e seu irmão brincavam na frente da casa. Claro que fez muita festa quando me viu. Eu disse que estava lá para a nossa segunda aula. Ela entrou correndo para avisar a mãe. A senhora apareceu na porta, sorrindo, conversamos. Perguntei se precisavam de mais alguma coisa? Ela disse que sempre precisa. Como já tinha comprado comida, perguntei se roupas eram bem vindas? Ela disse que sim. Perguntei se sua filha poderia me acompanhar até alguma loja por aqueles lados. Disse que compraria roupas para ela e para os dois irmãos. Ela concordou. Entramos eu e miha motorista no carro e logo estabelecemos a nossa conversa. Perguntei se queria dirigir. Ela balançou a cabeça, com os olhos já vidrados. Só de imaginar que estava excitado. Mais uam vez aquela coisa me faria gozar. Como já tinha ganho sua confiança, decidi ir um pouco mais além. Na mesma rua da vez anterior, parei o carro. Novamente ela pula em meu colo. Só que desta vez ela vestia uma sainha, deixando aquela bundinha inteirinha a minha disposição para a brincadeira. Antes de ajeita-la já tirei o pau pra fora. Antes de se sentar, levanto sua sainha e para minha surpresa veja que estava sem calcinha. Não preciso dizer que aquilo me tirou do sério e me fez perder qualquer juízo que ainda restava. Fiz ela se sentar em meu caralho > era meu pau e sua bundinha quente. Não tive nem o reflexo de inventar a história dos buracos na rua. Fui logo mexendo aquele rabinho em meu colo. Em algum momento ela chega a se virar para ver o que estava acontecendo. Segurei a sua cabeça dizendo que motorista tinha que olhar para frente. E que não se preocupasse que o tio só estava brincando um pouquinho com ela. Comecei a sussurar em seu ouvido. Ela dizia que estava fazendo cócegas e as vezes jogava todo o seu corpo colando no meu. Quando já não aguantava mais de tanto tesão abracei-a inteirinha, colando seu corpo no meu, ajeitei o pau entre suas pernas apertei suas coxas, deixando o pau esfregando em sua bucetinha dizendo –faz o tio gozar, faz... ahhhhhh. Novo gozo delicioso. Parece que estou vendo sua carinha de meio sorriso. Como desta vez eu estava prevenido, o papel higiênico resolveu a limpeza da porra em seu vestido e nas coxas. Na caminho para a loja me passou mais besteira pela cabeça. Até porque ela percebia que além do carro, tinha algo a mais naquela história, mas não me perguntava nada. Entrando na loja lhe perguntei porque não estava usando calcinha. Ela disse que só tinha um e estava suja. Claro que além de muitas roupas, para ela e os irmãos, comprei cinco calcinhas. Disse que ela precisa experimentar tudo antes de ir para casa e que isso podia ser feito na minha casa. Ela concordou. Chegando aqui, lhe disse que por ser uma roupa nova e limpa, precisa tomar um banho. Ela nunca tinha visto uma banheira na vida chegou até a chama-la de piscina. Encabulada, tímida, mas fazendo tudo que eu mandava. Ajudei a tirar a roupa. Pronto lá estava eu de novo de pau duro. Também fui aos poucos tirando minha roupa. Ela não tirava o olho do meu pau e ví que estava assustada. Procurei acalma-la e na conversa senti que aquilo era um trauma provocado por alguém que já tinha mal tratado ela. Ela se acalmou e fui lhe dando muito carinho. Lhe dei banho. Lavei lentamente tudo. Sua xaninha brilhava de tão carequinha que era. Os peitinos pareciam duas azeitonas. Lhe enxuguei , pequei no colo quando ela me olha e diz – tio, o sr é tão bom pra mim. Não quer ser meu paizinho. Sem responder deite na minha cama e comecei a beija-la. Lentamente passava a lingua em seus peitinhos. Ela começava a gemer Fechava os olhos e eu novamente d de pau duro comecei a esfrega-lo em sua boca. Ensinei dizendo como queria que fizesse. Com a mão fio me punhetando e com a lingua de fora foi me lambendo. As vezes eu tentava coloca-lo dentro de sua boca, mas não cabia. Me dei por satisfeito com a lambidas e com a punheta. Rapidinho estava gozando em seu rostinho. Não foi muita porra, mas tão delicioso quanto das outras vezes. Para encurtar a história: gozei mais cinco vezes. Uma em cada uma das calcinhas. Ela experimentou todas elas e com cada uma sentou em meu colo e lhe dei da minha porra na bundinha. Passamos a tarde toda experimentando as calcinhas que foram para a casa dela todas com um pouquinho de mim. De vez em quando eu aparecia em sua casa para juntos sairmos para ir ao mercado e dirigir um pouquinho, mas nunca passamos disso.

#6076 Comentários - 16-11-2011 - 03:02 PM por Libânio Shaefer - Diversos - Confirmo, É EXCITANTE (69) - Nota negativa! (14)
Adicionar aos Favoritos
Enviar a um Amigo
Este conto já foi visto antes

Contamos com a sua decisão. Você leu a totalidade deste conto? Gostou? Não?

Agradecemos que faça a sua votação. Clique num dos links em cima.
Clique em "Confirmo, É EXCITANTE" se gostou do conto ou clique em "Nota negativa" se não gostou. por favor faça-o em consciência. Obrigado pela sua participação.

Comentários dos usuários:

Nota: O site Contos Eróticos (contoseroticos.mundopt.com) não se identifica com os comentários aqui publicados. Os comentários são da inteira responsabilidade dos seus autores e podem ser removidos sem aviso prévio. Se você encontrar aqui algum comentário que considere que ultrapassou todos os limites, por favor clique no link "Relatar" para o reportar à administração. Obrigado.
olá, adorei o conto, tenho algumas historinhas reais massa, meu skype é dannynewstar@hotmail.com, adoro meninos e meninas.#1 - 18-03-2014 - 04:00 AM por dannynewstar - reportar abuso
Q bobagens ! O pessoal entra e depois critica. Vão ler outra coisa , falsos moralistas , depois ainda batem uma punheta . Ha vão se catar . #2 - 17-12-2013 - 12:46 AM por Arlei - reportar abuso
38 no co desse filho da puta#3 - 29-04-2013 - 05:20 AM por lllllllll - reportar abuso
Quanto tempo falta pra sua sentença? Tu vai morer#4 - 23-03-2013 - 09:30 AM por jaime nungo - reportar abuso
Devia ter comido elas#5 - 22-11-2012 - 06:20 AM por Tpg - reportar abuso
porra meu!#6 - 15-12-2011 - 11:41 PM por luiz - reportar abuso
mim de o endereço que eu quero botar minha pica nesse cuzinho depois faço umas comprinhas pra ela#7 - 07-12-2011 - 08:58 PM por djalma - reportar abuso
Quando ele chegar aqui no presidio vai ganhar um vestido de noiva, calcinha fio dental novinha e muita rola nno cé desse filho da puta!! Será a mulherziha do presidio. Canalha#8 - 27-11-2011 - 03:48 PM por Juca Péde Mesa - reportar abuso
deve ser um destes filhos das putas, aproveitando da inocencia e desgraça dos outros, deveria ser preso e comido na cadeia, seu verme#9 - 19-11-2011 - 10:55 PM por Lairon - reportar abuso
Nojo nada,deliciaa,mas tu devia ter dado prazer a ela tbm dá proxima depois do banho chupe gostoso a bucetinha lisinha dela,tenho certeza que ela vai adorar,opinião feminina#10 - 19-11-2011 - 11:43 AM por Lucia - reportar abuso

Coloque aqui o Seu Comentário sobre este conto:

Seu Nome:

Comentário:

Código anti-spam:      (reescreva o código à esquerda)